segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

IMENSA SOLIDÃO


Meu amor,o qual não vejo,
Agora estou tão só.
Aqui olho para o luar
Perdendo todo o meu desejo.

Nas noites tão só
Fico na janela vendo a noite passar
Fico olhando com inveja
O namoro do luar com o mar.

Olho as estrelas namorando
E uma árvore triste a balançar
Sinto então, esse vago
Que a amada há de ocupar.

Nenhum comentário: