segunda-feira, 27 de outubro de 2008

MÃE

Vivias entre calmas e esperanças
Clareando as noites, acelerando os dias
Apenas tu,ó mãe,pois jamais te canças
De amar teu filho que contigo sorria.


Momentos inquietos em que sofrias,
Choros penosos,lúgubre passado,
Esquecias tudo quando ao lado estavas
Do ente querido,filho,amado.


És única,muitas alegrias e sonhos
Sabe ser bondosa semear expectativas,
Colher de seus filhos olhares risonhos
Em todas noites,em todos os dias.


E em seus olhos a piedade brilhante,
Lêem-se as alegrias,na força da vida
De seres aquela mãe querida
Para seus filhos que o amam bastante.

Nenhum comentário: