domingo, 13 de julho de 2008

RETRATO DA AMADA

Tu que estás comigo;o sonhar
Clareou seu tempo
Para tecer-te o rosto
Tão meigo e lento.

Seu rosto parecem nuvens
Atraída para o ocidente
Distante como o nunca
Incessante como o sempre

E que repentinamente
Se leva e acalma,
Como se as chuvas e os ventos
Permitissem-lhe seus momentos,

Como se o sol em ti brilhasse
A lua,lhe causasse friamento,
Assim,deixando-te suave.
Com aparência de grande amor por dentro.
(Marcos Vieira))

Nenhum comentário: