sexta-feira, 1 de abril de 2011

Palavras de quem ama

         Quando você se deparar com alguém e esse alguém fizer o seu coração acelerar parecendo que vai pular fora do peito por alguns segundos,pense bem nisso:essa pode ser a pessoa que mais vai lhe fazer feliz,a pessoa que mas vai lhe amar.


        Se os seus sentimentos se infiltrarem e,as visões se entrelaçarem e,neste momento, houver o mesmo brilho intenso entre os olhares,seja atento,pode ser a sua cara metade que o destino lhe prosperou antes mesmo de você se tornar um ser humano.


       Se os lábios ficarem úmidos, se o beijo for inesquecível, e as pernas ficarem bambas, perceba:Pois você realmente está apaixonado.


      Se ao acordar e ao dormir você não tira essa pessoa dos seus pensamentos ,e se a cada musica Romântica que ouvir você se vê com ela,saiba aproveitar,pois o amor chegou fortemente em seu coração.


      Se um dia você ter que chegar com ela e pedir perdão,para em troca,receber um abraço, um beijo,a confiança de um sorriso e as lágrimas doerem mas que mil chibatadas,entregue-se,essa é a pessoa que foi feita para você.


      Se por a algum dia a tristeza lhe afogar , se a vida lhe humilhar e o seu amor sofrer o seu sofrimento, chorar as suas lágrimas e enxugá-las com carinhos,será ótimo para você,pois você poderá contar com ela em qualquer momento de sua vida que ela irá lhe entender e lhe dar forças.


     Se você conseguir, em pensamento, sentir o cheiro da pessoa como se ela estivesse ali do seu lado... Se você achar a pessoa maravilhosamente linda, mesmo ela estando de pijamas velhos, chinelos de dedo e cabelos emaranhados...


    Se você não consegue trabalhar direito o dia todo, ansioso pelo encontro que está marcado para a noite...


    Se você não consegue imaginar, de maneira nenhuma, um futuro sem a pessoa ao seu lado... Se você tiver a certeza que vai ver a outra envelhecendo e, mesmo assim, tiver a convicção que vai continuar sendo louco por ela...


    Se você preferir fechar os olhos, antes de ver a outra partindo: é o amor que chegou na sua vida.


    Muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes na vida, mas poucas amam. Ou encontram um amor verdadeiro.


    Ou às vezes encontram e, não sabem da valor em quem lhe ama.É muito triste sermos desprezados por quem mas amamos,é triste termos que tira-lo do coração,mesmo o amando,mas que é preciso já que o amor que lhe damos não é correspondido.
    
Jamais feche o coração para o mais belo e importante sentimento.O amor!

terça-feira, 29 de março de 2011

Sorrir

Sorrir não é mostrar transparecidade
E nem cobrir-se pela maldade.
“Sorrir é expandir a felicidade.”

SONHOS

Existem sonhos que não passam de ilusões,

De sofrimentos,de agonias e decepções,

Sonhos que se realizam com as forças das emoções.
Perdoar,as vezes se torna impossível,quando não se tem amor.

João Jesus de Paes Loureiro

        


  João Jesus de Paes Loureiro (Abaetetuba, 23 de junho de 1939) é um escritor, poeta e professor universitário brasileiro. Professor de Estética, História da Arte e Cultura Amazônica, na Universidade Federal do Pará. Mestre em Teoria da Literatura e Semiótica, PUC/UNICAMP, São Paulo e Doutor em Sociologia da Cultura pela Sorbonne, Paris, França.

  
         Possui diversas obras publicadas, como o livro "Cultura Amazônica - Uma Poética do Imaginário", tese de doutoramento na Universidade de Paris V (Sorbonne, França). Parceiro, como poeta, de vários compositores paraenses, tais como Wilson Dias da Fonseca, é autor da inspirada letra da valsa "Rachelina" (1922), escrita em 1996, cujo texto procura retratar, com fidelidade, o espírito da música composta por José Agostinho da Fonseca (1886-1945), em homenagem à pianista santarena Rachel Peluso.

MAX MARTINS

Max Martins(1926/2009)


Obras: O Estranho, Belém, Revista de Veterinária, 1952; Anti-Retrato (Belém, Falângola, 1960, receberam respectivamente os prêmios da Academia Paraense de Letras e Secretaria de Educação do Estado do Pará; O Risco Subscrito ( Belém, Mitografe, 1980); A Fala entre Parêntese ( Belém, Grapho/Grafisa, 1982., parceria com o poeta Age de Carvalho); Caminho de Marahu (Belém, Grapho/Grafisa, 1983); 60/35 ( Belém, Grapho/Grafisa, 1986;) Não para consolar. Poesia completa. (Belém, CEJUP, 1992. Prémio Olavo Bilac da ABL, dividido com o poeta António Carlos Osório); Marahu Poemas (Belém, CEJUR 1992); Colagens ( Belém. CEJUP, 1992); Para ter onde ir (SP, Massao Ohno/Augusto Massi, 1992); Outrossim. Poema-cartaz. (Belém, Casa da Linguagem, 1991); J poemas. Folder, (Belém, Falângola, 1991); e Caudrons of Críatirity. Poemas e ilustrações de Max Martins de seus Diários do Poeta. Exposição na Universidade do Colorado, EUA, 1999.










A CABANA


É preciso dizer-lhe que tua casa é segura


Que há força interior nas vigas do telhado


E que atravessarás o pântano penetrante e etéreo


E que tens uma esteira


E que tua casa não é lugar de ficar


mas de ter de onde se ir.